Países do leste europeu

O Dólar é uma moeda forte, o Euro muito caro e o nosso Real longe de valorizar. Neste cenário, podemos viajar para a Europa sem significar endividamento? Com certeza!  Alguns países europeus são baratos, interessantes e destinos turísticos onde nossa moeda vale mais. Geralmente, os países do leste europeu costumam ser mais baratos, pois não adotaram o Euro como moeda oficial. Países do sudoeste do Velho Continente, da Península Balcânica também são bons exemplos de viagens baratas. Confira a lista de 8 países custo-benefício na Europa:

Turquia

Turquia Passeio de balão

A Turquia é um dos únicos países do mundo que são transcontinentais, uma parte na Europa e outra na Ásia. Cidades turísticas, belezas naturais e construções milenares fazem parte do país. Umas das cidades mais visitadas do mundo é a capital Istambul, que tem como característica de ter sido a capital de quatro impérios (Romano, Bizantino, Latino e Otomano).

O câmbio de Real para Lira Turca (TRY) é favorável para os brasileiros, portanto, compre aos poucos seus euros para trocar pela moeda local nas várias casas de câmbios da Turquia.

No verão as temperaturas são mais quentes e período de alta temporada, no entanto, primavera e outono são bons momentos para visitar a Turquia. Você pode optar por voos diretos, considerados mais caros, ou com escalas em outros países. Analise sempre com antecedência a questão das passagens, fatalmente, uma das maiores fatias do orçamento.

A Turquia é um país de maioria muçulmana, por essa influência, conta com grandes e lindas mesquitas. A Mesquita Azul (Mesquita do Sultão Ahmed), segunda maior de Istambul, é um dos pontos turísticos da cidade. A Casa da Virgem Maria, a Cidade Subterrânea de Kaymakli, a Basílica de Santa Sofia e o Castelo de Algodão são outros destinos bastante conhecidos. Um dos mais conhecidos é o voo de balão, na Capadócia, onde com certeza será uma fatia grande do orçamento.

A grande maioria dos museus e sítios arqueológicos da Turquia possuem preços acessíveis, variando de 15 a 40 Liras. Hotéis intermediários e econômicos do lado europeu, costumam ter uma boa relação custo-benefício. Dê preferência ao lado europeu em Istambul. A Capadócia é um destino bem barato, como hotel e passeios, mas como dissemos, os voos de balão são caros. Butterfly Balloons e Voyager Balloons são duas empresas conceituadas e os preços chegam a 150 euros.

Bulgária

Mosteiro de Rila

A Bulgária não faz parte da lista de países queridinhos da Europa, mas tem o seu próprio charme. Pra quem curte história, o território da atual Bulgária pertencia a uma região antiga chamada Trácia, que depois foi anexada ao Império Romano. O país dos Balcãs tem por volta de 7 milhões de habitantes, abrange a costa do Mar Negro e tem a vantagem de estar geograficamente perto de outros países como Romênia, Macedônia, Grécia e Turquia, ou seja, pode facilitar conciliar o país com outros lugares na mesma viagem.

O país é um dos mais baratos da Europa, e apesar de membro da União Europeia, ainda não adotou o Euro como moeda oficial. O Lev búlgaro (BGN) é a moeda local.

Como na maioria dos países europeus, a melhor época para uma viagem é entre maio e setembro. Boa parte dos voos possui uma ou duas escalas. Air France, British, Lufthansa, KLM, todas essas companhias aéreas voam para Sófia, capital da Bulgária.

E o que fazer em Sófia? A Catedral de Alexandre Nevsky, a Igreja Russa de São Nicolau (Sveta Nikolai), Termas Centrais, o Museu da Cidade de Sófia, a Igreja de Sveta Paraskeva e a Sinagoga de Sófia são opções. Também há o Quadrado da Tolerância, lugar onde abriga a poucos metros de distância um do outro, quatro templos de quatro religiões diferentes: uma mesquita, uma sinagoga, uma Igreja Ortodoxa e uma Igreja Católica, sinônimos de paz, harmonia e respeito.

Outras cidades são: Rila, onde fica maior mosteiro ortodoxo da Bulgária. O Mosteiro de Rila é Patrimônio Mundial da Unesco. Plovdiv, uma das cidades habitadas mais antigas (remonta mais de 6 mil anos atrás) do mundo. E por fim, Bansko, onde no alto das montanhas Pirin está a estação de esqui mais popular dos bálcãs e com custos muito mais baixos.

Romênia

Castelo de Bran

A Romênia é mais um país da nossa lista pouco incluído nos destinos de viagens. É um dos países mais bonitos, e também enigmáticos do Leste Europeu. A Romênia é o maior país dos Bálcãs e faz fronteiras com a Bulgária, a Sérvia, a Hungria, a Ucrânia e a Moldávia. O mar Negro fica a sudeste.

A Romênia faz parte da União Europeia, mas não faz parte da zona do Euro. A moeda oficial é o Leu romeno (RON) e pode ser facilmente trocada na cidade ou até mesmo nos hotéis.

Com as 4 estações bem definidas, como na maioria dos países europeus, a melhor época para viajar é entre abril e outubro. Se você estiver pensando no litoral, julho e agosto. Não existem voos diretos, as companhias aéreas sempre farão, no mínimo, uma escala.

A cidade de Brasov é destino certo no país. Fica na região da Transilvânia, área descrita como “a última paisagem verdadeiramente medieval da Europa”. É um lugar real mas com lendas que mexem com o imaginário popular. Como a Transilvânia é circundada pelas montanhas dos Cárpatos, há muitas florestas montanhosas e possibilidades de caminhadas ou escaladas. E no meio disso tudo, há cerca de 100 castelos e fortalezas e por volta de 70 igrejas fortificadas.

Umas das principais atrações turísticas é o Castelo de Bran, ou Castelo do Drácula. Brasov é a cidade onde os turistas se hospedam para conhecê-lo. O Palácio do Parlamento, segundo maior edifício administrativo do mundo, e a famosa livraria Carturesti Carusel ficam em Bucareste, capital e porta de entrada do país. Sibiu é uma outra cidade da região da Transilvânia muito visitada, não por atrações turísticas, mas pelo seu charme e tranquilidade.

Bósnia e Herzegovina

Vrelo Bune

A Bósnia e Herzegovina é mais um país da lista localizado na península balcânica. O território é historicamente marcado por conflitos, sua região foi dominada por diversos povos, de sérvios a bizantinos e passando pelo Império Otomano. Somente em 1995, após uma passar por uma das mais sangrentas guerras do século XX (de 1992 a 1995), resultando em mais de 100.000 mortos, pode declarar sua independência. Independência que vinha impulsionada pelo fim da influência soviética, colapsada em 1991.

A moeda oficial da Bósnia e Herzegovina é o marco conversível (KM). Mas o Euro é também amplamente aceito em vários locais como hotéis e lojas, mas dificilmente em ônibus, por exemplo.

Primavera e outono possuem um clima mais ameno na maioria das cidades. Julho e Agosto, no auge do verão, o clima é bem seco e quente. Mas se você procura praticar esportes na neve, o inverno reúne todas as características para essas atividades.

Apesar das lembranças recentes, a Bósnia e Herzegovina é um país de locais históricos, arte, cultura e paisagens naturais lindas. Porta de entrada e maior cidade, a capital Sarajevo reúne algumas paradas obrigatórias, como Bascarsija, centro histórico e cultural, a mesquita Gazi Husrev-beg, a Latinska Cuprija (Ponte Latina) e a montanha Trebek, que oferece uma visão linda da cidade em dias ensolarados.

Na cidade de Mostar, a Stari Most (“Ponte Velha”) e o centro histórico devem ser inclusos no roteiro, pois são tombados como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. As Cascatas de Kravica (Kravice), no rio Trebižat também merecem nossa visita. Por fim, a cidadezinha de Blagaj, onde fica Vrelo Bune, um conjunto natural e arquitetônico único, situado no Rio Bruna. As fontes que alimentam o rio e o riacho das cavernas são famosas por produzir água excepcionalmente limpa e fria.

Polônia

Rynek Starego Miasta Polônia

A Polônia é mais um país do Leste Europeu longe dos destinos tradicionais do Velho Continente. Um lugar das construções históricas medievais, da riqueza cultural e da natureza. Apesar disso, enormes cicatrizes foram deixadas pela 2ª Guerra Mundial, foram mais de 6 milhões de mortes oficiais.

O złoty polonês (PLN) é a moeda oficial da Polônia. O país faz parte da União Europeia, mas não adota o Euro como dinheiro oficial. Leve euros para sua viagem e troque em casas de câmbio.

O clima da Polônia é muito semelhante ao do sul da Europa continental, com verões ensolarados, dias mais longos e invernos com temperaturas negativas, sempre cobertos pela neve. Apesar de lindo, é muito difícil caminhara ao ar livre entre dezembro e fevereiro.

A capital Varsóvia, Cracóvia e o campo de concentração de Auschwitz são os principais destinos turísticos do país. Em Varsóvia encontramos três importantes museus: Museu do Levante de Varsóvia, Museu da História dos Judeus Poloneses (POLIN) e o Museu do Levante de Varsóvia. Em Old Town, a Praça do Mercado chamada de Rynek Starego Miasta tem vários restaurantes, cafés, uma belíssima arquitetura, e além disso, é próxima a diversos pontos turísticos, como a Coluna de Zygmunt, o Castelo Real e a da Catedral de St. John’s.

Cracóvia é a cidade mais turística da Polônia e tem um dos mais bonitos cartões-postais do país, o Castelo Wawel. Já a Catedral de Wawel remonta uma história de mais de 1000 anos e o Centro Histórico, fala por si, Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco. E também é a partir de Varsóvia que saem excursões para conhecer o campo de concentração nazista de Auschwitz.

Hungria

Banho Termal Széchenyi Hungria

A Hungria é um país bem centralizado na Europa, faz fronteira com 7 países e não possui saída para o mar. Porém, o Rio Danúbio, segundo maior da Europa, corta o país de norte a sul, passando inclusive pela capital Budapeste. A Hungria foi fundada no final do século IX, mas ressurgiu como é conhecida hoje após a Primeira Guerra Mundial, quando perdeu mais de 70% do seu território e quase 60% da população. No decorrer da Segunda Guerra Mundial, o país deu apoio à Alemanha Nazista (eixo), derrotada, o que provocou danos significativos. Somente em 1989, o país fez a transição para o livre mercado, após 4 décadas de comunismo, apoiado pela ex-União Soviética.

A moeda da Hungria é o florim húngaro (HUF). O país faz parte da União Europeia desde 2004, mas ainda não adotou o euro.

Tal como os outros países europeus, final de primavera e outono são os melhores períodos para viajar por causa do clima ameno e por não ser período de alta temporada. Durante o verão a cidade fica cheia como qualquer outra cidade europeia e os preços aumentam.

Budapeste é um dos principais pontos turísticos. De três cidades distintas, duas separadas pelo rio Danúbio fundou-se Budapeste. De um lado a montanhosa Buda, mais histórica, cheia de construções medievais. E do outro lado, Peste, mais moderna, onde vive a maioria da população.

O Castelo de Buda, o Parlamento de Budapeste, a Ponte Széchenyi Lánchíd (Ponte das Correntes) e principalmente as águas termais. As águas termais húngaras possuem vários benefícios para a saúde e são cerca de 125 delas. As mais procuradas são as dos banhos Széchenyi, no Parque da Cidade, terma mais conhecido de Budapeste. E o país ainda tem muito mais a oferecer!

Macedônia no Norte

Lago Ohrid Macedônia do Norte

A Macedônia do Norte é um pequeno país no Bálcãs, que não tem saída para o mar e faz fronteira com 5 países: Sérvia, Kosovo, Bulgária, Grécia e a Albânia. Desde a independência da ex-república iugoslava em 1991, a questão do nome gerou um grande conflito que durou quase 3 décadas com a Grécia por causa do nome Macedônia. Por causa da Macedônia grega, ao norte, a Grécia reivindicava o uso do nome e vetou a entrada da Macedônia do Norte na OTAN e União Europeia enquanto não houvesse acordo. Somente em 2019, a troca pôs fim a esse impasse.

A moeda oficial usada na Macedônia é o denar macedônio (MKD). O ideal é levar euros e trocar pela moeda local no país.

A melhor época para viajar à Macedônia do Norte é entre os meses de maio e outubro. Entre maio e setembro são os meses mais quentes, ou seja, aproveita-se melhor o calor. Durante o inverno é bom se preparar para a neve.

Em menos de uma semana é possível conhecer razoavelmente tudo que a Macedônia do Norte tem a oferecer. Na capital Escópia (Skopje) é o início. A visitação começa Centro Histórico, passando pelo Old Bazaar, mercado onde se compra de tudo, e chegando na Fortaleza (Skopje Fortress Kale), lugar onde temos uma visão privilegiada do centro histórico. Separe um dia para um bate-volta até o Canyon Matka, um lago lindo. Lá você pode passear pelos cânions de barco, caiaque, stand up paddle ou simplesmente mergulhar.

Um outro lugar interessante e principal ponto turístico é Ocrida (Ohrid). As águas do Lago Ohrid ficam cheias durante o verão e quase secam nas outras estações. Essa cidade história é rodeada das praias de água doce, bares, restaurantes e arquitetura medieval. Conheça!

República Tcheca

Casa Dançante Praga

A Tchecoslováquia foi uma nação que se dividiu, em 1993, pacificamente em duas: República Tcheca e Eslováquia. A República Tcheca é um país da Europa Central, não tem saída para o mar e faz fronteira com Alemanha, Polônia, Áustria e Eslováquia. O país é quase totalmente cercado por montanhas e conta com mais de 2000 castelos e fortalezas, inclusive o que tem a maior área do mundo, 70000 m².

A moeda local é a Coroa tcheca (CZK) ou Koruna, em tcheco. O país faz parte da União Europeia, mas não adota o Euro como moeda.

Entre maio e setembro são os melhores meses, como a maioria dos países na Europa, para conhecer a República Tcheca. No inverno costuma nevar e os termômetros ficam abaixo de zero.

A República Tcheca pode começar a ser visitada por Praga, sua capital, que possui muitos monumentos, pontes e bastante história a ser contada. Sua principal atração turística é o Castelo de Praga, maior castelo do mundo. Mas há outros, como a Catedral de São Vito é uma das construções mais importantes cidade e também o famoso relógio astronômico medieval de Praga. com fachada gótica. Por fim, a Ponte Carlos, um dos maiores cartões postais da cidade, a Igreja de São Nicolau, algumas sinagogas, mosteiros e a conhecida Casa Dançante, um prédio de escritórios que tem a silhueta de um casal dançando.

Em seguida o roteiro pode continuar na cidade de Pilsen e a visita passa pela cervejaria Pilsner Urquell, além da Catedral de São Bartolomeu e a Grande Sinagoga. A cidade de Cesky Krumlov tem seu centro histórico é tombado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Karlovy Vary a última cidade citada, é o principal balneário de águas termais do país e de muitas belezas arquitetônicas.

Deixe um comentário