Como planejar seu roteiro de viagem

O segmento de agência e operadoras de viagens tem um papel fundamental na intermediação de serviços de turismo no país. Eles impulsionar o setor. A CVC, Decolar e Hurb são grandes players do mercado nacional que conseguem negociar os preços e deixá-los competitivos, afim de trabalhar bem as ofertas com pacotes fechados, entregando ao consumidor boa parte do planejamento.

Você entrega suas informações e as operadora devolvem a facilidade na forma de pagamento, horários do voos, hospedagem, traslados, passeios, guias, entre outros. Você tem a segurança que profissionais estão fazendo pra você, mesmo que não sejam pacotes personalizados para cada viajante. Diante disso, a pergunta que eu te faço é a seguinte: você faz viagens ou turismo?

Vale a pena planejar a viagem

A partir do momento que você planejar a sua primeira viagem, você não vai querer nada diferente. Você tem a liberdade de decidir simplesmente tudo, e talvez por esse motivo, a maioria das pessoas não gosta de assumir essa responsabilidade. Não é simples, precisamos de muita pesquisa nesse processo. A viagem começa meses antes, durante o planejamento, a pesquisa do roteiro e o estudo das atrações, da cidade, do país, de todos os horários, da localização da hospedagem, dos deslocamentos e da cultura local. Precisa de dedicação? Sim! De tempo? Também! Mas a experiência da viagem e o conhecimento adquirido pelas pesquisas compensa todo esse trabalho.

Como planejar sua viagem?

Planejamento roteiro e viagem

Decidiu o tempo de férias? Marcou suas férias? Tirou ano sabático? Mochilão? Agora é hora de começar a planejar, não entre em desespero. Abra um documento no Google Docs para dividir suas informações, links, dúvidas com quem você vai viajar ou simplesmente para registrar seu rascunho de roteiro. Uma dica valiosa é planejar com muita antecedência para evitar todo e qualquer tipo de imprevisto. Vai fazer você economizar em passagens e hospedagens, além de facilitar a planilha de gastos para controle financeiro.

Detalhe no seu arquivo roteirizando o seu dia, desde o embarque no aeroporto da sua cidade, até o dia da volta do destino final. Endereços das atrações, dos passeios e dos restaurantes, horários, quais os meios de transporte, as hospedagens, o clima e o que mais puder ajudar. Um aplicativo bem legal, que eu gosto de usar é o TripIt – Travel Planner, vale a pena pesquisar.

Destino

Qual o objetivo da sua viagem? É praia, campo, cultural, esportes, natureza, safári, gastronomia? O que define o rumo do roteiro e de todo o planejamento é o destino. Colocando no papel se a viagem é nacional dentro do estado, nacional para outro estado, internacional no mesmo continente ou internacional entre outro continente, a gente consegue precisar minimamente quantos dias de roteiro são necessários, entender custos de hospedagem, a obrigatoriedade de passaporte, vacina, a compra de moeda estrangeira, etc.

Duração

A duração da viagem depende muito do destino e principalmente de quanto você está disposto a gastar. O que você quer ver? Quantas cidades visitar? Vale a pena perder tanto tempo de deslocamento para visitar aquela atração? O número de dias define todos os próximos itens que são essenciais ao planejamento.

Passagem Aérea

Paciência é a palavra que define a compra das passagens aéreas. Mas não muito longe, a flexibilidade e antecedência completam os elementos desse planejamento. Se você tem horários e datas flexíveis, a dica que eu dou para compra de passagens aéreas internacionais é começar a pesquisa 8, 9 meses antes e ir monitorando os preços. O link sobre fugir dos preços caros das passagens aéreas aqui do blog vai ajudar muito.

Hospedagem

Como escolher a melhor hospedagem depende muito do tipo viagem, da local e do orçamento que você está disposto a gastar. Há várias opções como: hotéis, resorts, pousadas, albergues, hostels, aluguel por temporada, couchsurfing, entre outros. Planeje sua viagem para decidir qual a melhor localização. Vai ter uma cidade-base para conhecer um região? Vai se hospedagem em várias cidades diferentes? Preciso ficar perto do aeroporto, da estação de trem, de ônibus pra se deslocar mais rápido?

O roteiro é essencial para as hospedagens, a não ser que você deixa a vida te levar, curtindo naturalmente a viagem e não tendo medo dos imprevistos. Essas pessoas não são maioria, mas não estão erradas. Eu prefiro planejar para aproveitar o máximo de cada lugar e deixar espaços para as surpresas. Momentos que você precisa de mais tempo. Ás vezes uma cidade é melhor do que esperamos, mas conhecer aquele lugar abaixo das expectativas também pode acontecer.

Passeios e Atrações

Comprar atrações e passeios adiantados (online) é garantia de tranquilidade. Evita longas filas, horários fechados ou simplesmente para assegurar seu lugar no dia e horário do roteiro. Até mesmo para as praias do Nordeste conseguimos olhar a tábua das marés com antecedência pra garantir as piscinas naturais e praias com a maré baixa. Procure, pesquise e garanta a compra se você quer muito ir naquela atração que você está louco(a) pra conhecer. Não dê mole! Mas claro que há lugares que são exceções, onde deixando para realizar a compra no local, nos permite negociar preços.

Deslocamentos

Uma das etapas mais importante ganharmos tempo em viagem é organizar o deslocamento. Seja entre as cidades, o local de embarque e desembarque, hotel e aeroporto. Pesquise se vale a pena ir de trem, ferry, avião, ônibus, transfer. É demorado ir andando? De bicicleta? Quer mais flexibilidade alugando um carro? Essa é quase sempre uma ótima opção, econômica e nos traz muita liberdade dentro do roteiro.

Moedas

As dicas para comprar moedas estrangeiras são as mais básicas, porém, as mais corretas. Comprar com antecedência e aos poucos, para ganhar no valor médio. Use os sites para pesquisar as taxas de câmbio e comparar as taxas. Normalmente o ideal é trocar as moedas no Brasil antes de viajar, mas em alguns casos, o real é mais valorizado do que a moeda local do destino, por isso, vale a pena deixar para trocar durante a viagem. É o caso de pesos (argentinos), soles (peruanos) e rands (sul-africanos).

Documentação

Documentação passaporte visto pid

Brasileiros não precisam de passaporte para entrar nos países do Mercosul, somente as Guianas e Suriname ficam de fora. Segundo o Departamento do Mercosul no Ministério Brasileiro das Relações Exteriores, apesar a identidade brasileira, por lei, não ter data de validade, é recomendável que o documento tenha uma foto que permita a identificação visual do portador e seja emitida há menos de 10 anos. A Carteira de Trabalho, a CNH, Título de Eleitor, Certificado de Reservista, OAB, nenhum desses documentos serão aceitos no embarque de voos internacionais.

O passaporte para voos internacionais tanto na América do Sul, quanto todos os outros países, precisa ter uma validade de 6 meses antes da validade da data final. Por isso, renove sempre o seu passaporte antes de 6 meses do vencimento. E mais um conselho, por mais que o RG seja aceito na América do Sul, leve sempre seu passaporte com você. Os carimbos tem um peso maior na hora de passar pela imigração, seja nos EUA ou Europa.

Antes de decidir também sobre o país que deseja visitar, é importante verificar a obrigatoriedade do visto. Mesmo como turistas, em alguns países é necessário mostrar esse documento na entrada. Para iniciar a requisição do visto, tenha sempre seu passaporte em mãos. Segue o link sempre atualizado pelo Itamaraty com a Tabela de Visto para Cidadãos Brasileiros.

O último dos documentos que você talvez precise é o PID (Permissão Internacional para Dirigir). É permissão para dirigir nos países signatários da Convenção de Viena. Alguns países fazem vista grossa, porém, em outros países é obrigatório. Como prefiro estar com os documentos corretos, principalmente em um país que você não conhece ou com mão inglesa, deixo o link do Detran com as informações de como pagar e solicitar o documento.

vacinas

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é o documento que comprova a vacinação contra doenças e vários países hoje em dia pedem a comprovação, principalmente em casos de febre amarela. O certificado é emitido gratuitamente e inclusive pode ser feito online. Consulte o país na página do Sistema de Emissão do CIVP, da Anvisa as vacinas exigidas na entrada de cada país.

Devido a Covid-19, o cenário mudou e mais exigências foram definidas. Por muito tempo exigirão dos turistas um Certificado Covid Digital UE, como na União Europeia, ou comprovante similar de vacinação (como o ConecteSUS) digital. Alguns países ainda exigirão testes laboratoriais com resultado negativo para o Covid-19, feito nas 72 ou 48 horas antes do embarque. O mundo mudou, precisamos acompanhá-lo em termos de vacina, testes ou até mesmo quarentena.

Chip

Existem duas maneiras mais comuns de comprar um chip pré-pago para sua viagem internacional. Você decidiu por vários destinos na mesma viagem, conexão em um país diferente ou tudo no mesmo país? A primeira das opções é sair do Brasil já com um chip comprado, garantindo a antecedência, mantendo o número do Whatsapp e você ainda recebe em casa. Essas empresas utilizam as redes das operadoras locais em cada um dos países que você vai visitar, porém, o custo é um pouco mais alto.

A outra opção é comprar o chip no próprio destino. Como exemplo, a gente pode usar a Europa, que aprovou uma nova regulamentação do roam like at home em meados de 2017. Hoje nós podemos comprar um chip em qualquer país da União Europeia e utilizar em outros, sem precisar trocar de chip ou pagar roaming. E normalmente é mais econômico do que sair do país com chip. O lado ruim é você chegar num dia onde as lojas estão fechadas, por isso o planejamento do roteiro é super importante.

Seguro Viagem

Seguro viagem

O Tratado de Schengen é um acordo entre países europeus sobre uma política de abertura de fronteiras e livre circulação de pessoas entre os países participantes. Não há necessidade de apresentação de passaportes entre as fronteiras. Os cidadãos brasileiros não necessitam de visto para entrar em qualquer um dos países europeus integrantes do espaço Schengen quando estiverem se deslocando a turismo e por no máximo 90 dias.

Por que essa introdução? Apesar da não obrigatoriedade do visto, todos nós devemos portar um seguro-viagem com cobertura mínima de 30.000 euros ou o equivalente em dólares para acidentes, repatriação e enfermidades. O valor do seguro varia muito de seguradora, mas você encontra algo entre 150 e 400 reais por 15 dias na maioria dos continentes. Fique atento sempre nas promoções, leve impresso durante a viagem e garanta as informações também no aplicativo.

Remédios

Tocamos em vários assuntos macros para a realização de uma viagem, mas os detalhes também são importantes. Vamos conferir algumas dicas de como levar os medicamentos em voos domésticos e internacionais. Para começar, os remédios devem sempre ser levados na bagagem de mão, principalmente os de uso contínuo ou controlado. Carregue seus remédios dentro das embalagens originais, com a receita médica para comprovação e, se possível, em inglês, para evitar quaisquer problemas.

Os demais medicamentos, como antialérgicos, remédios para enjoo ou de estômago, analgésicos, antiinflamatórios, relaxantes musculares, antibióticos, anticoncepcionais, kit primeiros socorros, entre outros, podem tanto ser carregados junto na cabine, como despachados na bagagem. O ideal é não levar uma quantidade muito maior do que os dias da estadia.

Os medicamentos líquidos não possuem restrição para voos internos, domésticos. Já os remédios líquidos não podem ultrapassar os 100 ml em viagens internacionais, despachados ou na bagagem de mão. Remédios como insulina precisam de uma atenção redobrada. Essa medicação pode ser informada no momento da reserva e também na hora do guichê. Para voos longos, já dentro da aeronave, converse com os comissários de bordo para guardar em ambientes refrigerados.

Deixe um comentário