Florença

Cidade de Florença. Firenze ao anoitecer

Faz algum tempo que saiu um estudo de economistas italianos falando que as famílias mais ricas de Florença hoje são as mesmas que em 1427. Essa é uma maneira de pensar como a cidade não mudou em centenas de anos. São ruas estreitas e de pedras, palácios medievais, capelas iluminadas, igrejas decoradas com afrescos, basílicas de mármore e museus de arte renascentista mundialmente famosos repletos de pinturas e esculturas de Botticcelli, Michelangelo, entre outros.

Florença (Firenze) é a maior cidade e capital da região da Toscana. Sua cidade, cercada por colinas ricas em vinhos, é um paraíso gourmet onde comer e beber muito bem é obrigatório. Paisagens bonitas, arquitetura, gastronomia e obras de arte de mestres artísticos Brunelleschi, Galileu, Leonardo da Vinci tem suas raízes na cidade e dão o tom até mesmo na vida cotidiana de Florença.

Onde ficar?

Sem dúvida, o melhor lugar para se hospedar em Florença é no centro histórico. De lá, você está próximo de praticamente todos os pontos turísticos da cidade. Curta caminhadas ligam você a Catedral Santa Maria dei Fiori, a Estação Ferroviária Santa Maria Novela (principal estação conecta toda a Itália), Piazza della Signoria, entre outros.

Nessa região você vai encontrar hospedagem para todos os tipos de bolsos. Hostels, hotéis 5 estrelas, hotéis mais econômicos e até casas para locação, como AirBnB. Entretanto, é a região mais cheia de turistas, pois, além do centro histórico ser pequeno, Florença serve de cidade base para conhecer as outras cidades da Toscana. Principalmente para quem tem pouco tempo, vai a Florença pela primeira vez e está dependente do transporte público.

Caminhando você vai de um extremo a outro em 20 minutos, economizando tempo (primordial em roteiros) e dinheiro de transporte entre os pontos turísticos. Mesmo que seja a região mais cara, com certeza é a melhor localização.

Onde comer?

Vamos direto ao assunto! Se quer um lugar tradicional, escondido e pequeno, vá a Trattoria Sostanza. O restaurante tem exatos 150 anos.  Destacam-se 3 pratos entre o modesto menu: alcachofra com ovos, bisteca à fiorentina e o peito de frango. O que me levou ao restaurante foi a bisteca, um t-bone steak gigante espetacular e que serve duas pessoas tranquilamente e torna mais barato o almoço ou jantar. Recomendamos fazer uma reserva antes, pois são poucas mesas.

Entrada da Trattoria Sostanza Cardápio da Trattoria Sostanza

Mangia Pizza FirenzeMangia Pizza Firenze. Podemos dizer que no centro de Florença, foi a melhor pizza que experimentamos. O local é pequeno. Você entre comer nas poucas mesas ou no balcão enquanto o pizzaiolo monta a pizza na sua frente. O atendimento é ótimo. Não é um lugar caro (não cobram taxas de serviço), os produtos são de qualidade, ingredientes frescos e a é massa fina e retangular. Pizzaria próxima a Galeria del Ufizzi. Só tenha cuidado com a calabresa picante, por experiência própria, ela é muito boa, mas extremamente picante.

O que fazer?

Florença é o centro cultural, intelectual e artístico da região da Toscana, mas podemos dizer que da Itália também. Uma visita a Florença é caminhar pela Via Tornabuoni, são fotos na Piazzale Michelangelo, uma parada na Ponte Vecchio e um spritz na Piazza dela Repubblica. Deve incluir também uma visita ao Museu Uffizi, à Accademia e ao imponente Palazzo della Signoria, bem como tomar um gelato na Piazza del Duomo, comer uma bisteca à fiorentina, sentir e por que não, comprar couro de Florença. Talvez você possa refletir a viagem pegando sol aos pés do Palazzo Pitti.

Caffe Gilli Firenze Piazza della Repubblica
Um dos mais antigos (desde 1733) cafés da Itália – Caffe Gilli Firenze Piazza della Repubblica

Segue um descritivo com algumas das principais atrações/museus da cidade de Florença. Vale lembrar que os preços mudam de acordo com alguma coleção de arte exposta e também com a época do ano, por isso verifique o dia no seu roteiro e faça uma pesquisa no site para a data. Durante a alta temporada, os tempos de espera podem ser de até cinco horas, é por isso que recomendamos que reserve um ingresso com antecedência para ter uma espera mais curta e com hora reservada. Os ingressos você encontra no site da B-Ticket.com.

AtraçãoPreço (inteira)
Galleria degli Uffizi€ 8,00 + € 4,00 (taxa)
Galleria dell'Accademia€ 8,00 + € 4,00 (taxa)
Do Palazzo Vecchio para Uffizi€ 26,50
Galleria Palatina e Galleria d'Arte Moderna€ 8,50 + € 3,00 (taxa)
Museo del Bargello€ 8,00 + € 3,00 (taxa)
Museo delle Cappelle Medicee€ 8,00 + € 3,00 (taxa)
Giardino di Boboli€ 10,00
Museo di San Marco€ 7,00
Museo Archeologico€ 7,00
Opificio delle Pietre Dure€ 7,00

Galleria degli Uffizi

Galleria degli UffiziA Galleria degli Uffizi é um dos museus de arte mais antigos e famosos do mundo ocidental. Também o mais importante museu italiano. As obras-primas do Renascimento que você encontrará são bastante únicas e conhecidas. Estamos falando de pinturas de artistas famosos como a Vênus Primavera de Botticelli, Anunciação de Leonardo da Vinci, Tondo Doni de Michelangelo, Ducas de Urbino de Piero della Francesca e Vênus de Urbino de Tiziano e Bacco de Caravaggio.

Galleria dell’Accademia

Galleria dell’Accademia - David MichelangeloA Galleria degli Uffizi e a Galleria dell’Accademia são os dois museus mais concorridos de Florença, portanto as mesma dicas valem para ambos. Na Accademia destaca-se o símbolo de Florença, a estátua de David, de Michelangelo, esculpida a mão com mármore. Não é atoa que o museu também é conhecido como Museu de Michelangelo, pois várias obras do artista estão expostas diariamente, como Prisioneiros (Prigioni). E outras obras bastante conhecidas fazem parte do acervo, como O rapto das Sabinas de Giambologna, a Madonna e filho (Madonna col Bambino) e Madonna do Mar (Madonna del Mare) de Botticelli. Essa imersão vale cada centavo gasto. O Palácio da Academia também inclui o Museu de Instrumentos Musicais.

Palazzo Vecchio

Localizado na Piazza della Signoria, o Palazzo Vecchio, sede do governo florentino abriga um museu onde estão expostas obras de arte dos grandes artistas da Renascença italiana, como Michelangelo, Donatello, Ammannati, Giambologna, entre outros. Na entrada principal duas grandes obras podem ser apreciadas: uma réplica do David, de Michelangelo e a original L´Ercole i Caco, de Bandinelli.

Palazzo Vecchio

No interior encontramos além do museu, o famoso Salone dei Cinquecento (Salão dos Quinhentos), com pinturas de Vasari no teto, que remontam a história da cidade de Florença. Outras obras de ninguém menos que Leonardo da Vinci e Michelangelo também podem ser vistas nos 53 metros de comprimento, 23 de largura e 18 de altura de pura cultura do salão.

Entre as salas destacamos também: O Studiolo de Francisco I, O Quartiere degli Elementi, (O Quarto dos Elementos), Apartamentos dos Medici, Quartiere di Eleonora (Apartamento de Leonor), Sala dei Gigli (Sala dos Lírios), Sala delle mappe geografiche (Sala dos Mapas Geográficos). Na sala anterior a na sala anterior aos Quartos de Eleonora, encontra-se a famosa máscara mortuária, a máscara de Dante, retratada no filme Inferno, do Dan Brown.

Piazza della Signoria

Essa linda praça aberta está apenas em frente ao Palazzo Vecchio e hospeda muitas estátuas surpreendentes, como uma réplica de David e a Fonte de Neptuno. A Loggia dei Lanzi (uma incrível galeria de escultura ao ar livre) aprecia a estátua de Perseu com a cabeça da Medusa por “Benvenuto Cellini”, o Violação das Sabinas de Giambologna e muitos outros. Na praça, você também encontrará um grande número de restaurantes e bares.

Piazza della Signoria

Palazzo Pitti

Palazzo PittiComprado em 1550 por Cosimo I de’Medici e sua esposa Eleonora di Toledo para transformá-lo na nova residência dos grão-duques (título de nobreza), o Palazzo Pitti logo se tornou o símbolo do poder consolidado dos Medici na Toscana, principalmente após o banqueiro Luca Pitti conduzir a família a falência. O Palácio leva seu nome até os dias de hoje.

Fazem parte do Palazzo Pitti : o Appartamenti Reali, o Tesoro dei Granduchi, o Museo d’arti moderna, a Galleria Palatina, a Galleria del costume e Museo degli argenti.

Giardino di Boboli

Pra quem gosta da natureza, plantas e flores, misturada a arte, esculturas renascentistas e fontes ornamentadas, os Jardins de Boboli se torna uma ótima opção. Parte integrante e localizado atrás do Palácio Pitti, o Giardino di Boboli é uma vasta área verde, considerado como um museu ao ar livre.

Fazem parte Giardino di Boboli:  o  próprio Giardino di Boboli, o Museo delle porcellane e o Giardino Bardini.

Piazza della Repubblica

Piazza della Repubblica fica exatamente no centro da cidade, sendo seu coração. Além de ser a praça mais antiga, é um dos lugares mais nobres da cidade. A Colonna della Dovizia ou também conhecida como a Coluna da Abundância marca o ponto onde o cardus e decumanus maximi se encontraram e onde o fórum romano estava em pé. A atual coluna data de 1431, mas a estátua no topo é uma cópia e o original é visível no banco Cassa di Risparmio na via dell’Oriuolo.

Piazza della Repubblica

Hoje a Piazza della Repubblica é o lar do histórico Caffé Gilli, Caffé Paskowski e Caffé delle Giubbe Rosse. Também de frente para a praça estão o Hotel Savoy na Via Roma e a estação central de correios, localizado sob os arcos do pórtico que se estende para cada lado do Arco do Triunfo. Hoje também contamos nas laterias da praça com um Hard Rock Café e um Carrossel, que faz a alegria das crianças.

Duomo de Florença

A Cattedrale di Santa Maria del Fiore, uma obra da arte gótica, começou a ser construída no final do século XIII. Entre paradas e retornos, teve sua consagração em 1936 e foi finalizada apenas em 1359. São 153 metros de comprimento, 90 de largura no cruzeiro e 90 metros de altura do chão na abertura da lanterna. Há divergências sobre sua posição no ranking de grandeza, mas sabemos que é menor que a Basílica de São Pedro, no Vaticano e a Basílica de São Paulo, e Londres, mas também encontramos fontes que dizem ser menor que as Catedrais de Sevilha, Espanha e Milão, Itália.

Duomo de Firenze - Florença

Para entrar na Catedral não precisa de ingresso, mas normalmente há uma fila. Os ingressos podem ser comprados na hora ou pelo site https://www.ilgrandemuseodelduomo.it/ e são cumulativos, ou seja, com o mesmo ingresso é possível visitar: o Batistério de São João, a Cripta di Santa Reparata, a Torre Campanário (414 degraus), a Cúpula de Brunelleschi e o Museu da Catedral (OPA) por €15 euros. Apenas para visitar a Cúpula, é necessário a reserva de horário. E reservar fôlego também é uma grande dica, são só 463 degraus. Vale checar no Verona Card quais monumentos são aceitos.

Ponte Vecchio

Um dos símbolos de Florença, a Ponte Vecchio, foi a primeira e única ponte construída durante a época romana. Sua construção é em arco e que cruza o Rio Arno. O maior impacto na ponte foi feito em 1565, por Giorgio Vasari. Ele construiu o Corredor Vasari para Cosimo I dei Medici (membro da família Médici), a passarela que liga o Palazzo Vecchio ao Palácio Pitti, depois a casa privada dos Medici. O corredor levantado, com cerca de um quilômetro de comprimento e construído em apenas cinco meses, começa no Palazzo Vecchio, passa pela Galeria Uffizi, continua ao longo de Lungarno Archibusieri, antes de passar acima das lojas no lado leste da ponte.

Ponte Vecchio - Florença Firenze

Pra quem ainda não sabe, a Ponte Vecchio abriga quase exclusivamente em sua estrutura, grandes joalherias. São marcas como Rolex, Cartier, Fratelli Piccini, entre outras. Poucos lugares do mundo fazem joias a mão (peças em ouro, prata e pedras preciosas) e joias criadas no estilo medieval, quase como artesanato. As lojas e bancas praticamente fecham as laterais da ponte. E como última curiosidade, a Ponte Vecchio foi a única ponte em Florença a não ser explodida pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial.

Dicas

O Firenze Card é um bilhete que te garante acesso a uma lista de quase todos os museus da cidade, com acesso prioritário e sem a necessidade de fazer reservas (com exceção à cúpula de Brunelleschi). Além disso, permite entrada gratuita para menores de 18 anos que são membros da mesma unidade familiar do titular de Firenzecard e cidadãos da União Europeia.

Firenze Card

A pergunta clássica é: Vale a pena gastar €72 euros? Quem vai decidir isso é você! A partir da primeira entrada num museu, você tem 72 horas para usar o seu bilhete. A conta é simples, faça seu roteiro, veja quantos museus quer visitar, some os valores dos museus e passando de €72 euros, vale a compra. Para roteiros com menos de 3 dias, não vale a compra.

Confira a Lista dos Museus que fazem parte do Firenzecard. Pode ser adquirido online no site www.firenzecard.it, em frente à estação de Santa Maria Novella, no ponto de informação a turistas ou nas bilheteria dos principais museus.