A Cidade Maravilhosa é conhecida pela natureza, praias e vida boêmia, mas já faz algum tempo que existe um medo da violência quando se fala em Rio de Janeiro, principalmente por quem é de fora do estado. Esse problema assusta, adia ou muitas vezes atrapalha o plano de quem quer conhecer a cidade. Mesmo com nossos problemas, o Rio continua com suas belas paisagens e o maior destino turístico de lazer do Brasil. Conheça um pouco desse tão explorado destino no país com seus links oficiais de compra:

Cristo Redentor

Um dos cartões-postais do Rio de Janeiro e uma das 7 maravilhas do mundo moderno, o Cristo Redentor pode ser visto de vários lugares da cidade e pode ser acessado pelo tradicional Trem do Corcovado e também por vans saindo de alguns pontos da cidade. É impressionante como vários cariocas, mesmo morando na cidade, nunca visitaram o Cristo Redentor.

Floresta da Tijuca

O Parque Nacional mais visitado do país é a Floresta da Tijuca. É onde está localizado um dos maiores cartões postais da cidade e o primeiro citado nessa postagem, o Cristo Redentor, no topo do Morro do Corcovado. Mas vários outros pontos turísticos estão dentro das redondezas do Parque Nacional, como trilhas, grutas e cachoeiras, belezas naturais que formam a quarta maior área verde urbana do país.

De acordo com o site do Parque Nacional da Tijuca, ele divide-se em 3 setores:

Setor Floresta
Setor Pedra Bonita e Gávea
Setor Serra da Carioca
Jequitibá do Marc FerrezPedra BonitaSumaré
Fazenda CantagaloPedra da GáveaMorro Cochrane
LajeadoAgulhinha da GáveaCachoeira Parque Lage
Represa dos CiganosRio Cabeça
Trilha TranscariocaCachoeira da Gruta
Trilha dos EstudantesMirante da Lagoa
Circuito do Vale HistóricoMirante do Horto
Circuito dos PicosTrilha Parque Lage X Corcovado
Caminho Dom Pedro AugustoTrilha Transcarioca
Vista do AlmiranteRio Carioca
Mirante do ExcelsiorRuí­nas do Mocke
Bico do PapagaioParque Laje
Pico da TijucaCachoeira dos Primatas
Cascata GabrielaMesa do Imperador
Ponte PensilVista Chinesa
Centro de VisitantesMirante Dona Marta
Caminho das GrutasCachoeiras do Horto
Cachoeira das AlmasPaineiras
Mirante da CascatinhaCorcovado
Lago das Fadas
Bom Retiro
Recanto dos Pintores
Ruínas do Almeida
Barracão
Sítio Humaitá
Ruí­nas da Fazenda
Jardim dos Manacás
Restaurante A Floresta
Restaurante Os Esquilos
Hí­pica
Açude da Solidão
Cascatinha Taunay
Capela Mayrink

Com boa sinalização, trilhas bem definidas, o Parque faz você sair da correria da vida urbana e te conecta com a natureza, de graça. O acesso gratuito (com exceção do Corcovado) para visitação, piqueniques, andar de bicicleta, fazer as caminhadas, trilhas, esportes, ou seja, várias atividades ao ar livre. Em seguida vamos falar de dois pontos turísticos específicos dentro do Parque.

Parque Lage

O Parque Lage era um antigo engenho de açúcar na época do Brasil Colonial, possui 52 hectares e é tombado pelo Iphan como patrimônio histórico e paisagístico. Hoje abriga a Escola de Artes Visuais (EAV), instalada em um lindo prédio de 1929, com cafeteria. O que fazer no Parque Lage vai depender do seu estilo ou da sua vibe no dia. É possível apenas caminhar e tirar fotos, fazer piqueniques, fazer trilhas, tomar um cafezinho ou um belo café da manhã, mas o preço é bem caro. A entrada é gratuita e o endereço é: Rua Jardim Botânico, 414 – Jardim Botânico. Vale muito a pena visitar!

Pedra da Gávea

Localizada na Barrinha, dentro do Parque Nacional da Tijuca, a Pedra da Gávea é o maior bloco de pedra à beira mar do mundo. Ao sair da estação do Jardim Oceânico, é só pegar um Uber ou taxi que eles deixam você bem na entrada da trilha. Dentro dos seus 844 metros de altura (até o topo da Cabeça do Imperador) e 1,6Km de percurso, ela ganhou o título de trilha de maior dificuldade da cidade. É muito importante, na verdade essencial que vá com um guia cadastrado e qualificado, pois o percurso dura em média umas 3 horas, dependendo do grupo e da condição física de cada um.

Além da subida desgastante, que requer bastante energia, existe um ponto chamado de carrasqueira, talvez o local mais técnico da trilha e que mais assusta. Gira em torno de 35 metros de subida e necessita de um equipamento (escalada em primeiro grau) para garantir uma certa segurança. Você até pode subir pela lateral e os guias nos instruem, mas se você pode minimizar os riscos, é sempre bom. No local também há um rapaz que realiza subidas e descidas com um equipamento cobrando 30 reais por trecho.

A vista é recompensadora. É possível ver praticamente toda a cidade do Rio de Janeiro e arredores. Podemos observar o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, as praias de Copacabana, Ipanema, São Conrado e Barra da Tijuca, e inclusive as montanhas da Serra dos Órgãos, caso o tempo esteja aberto.

Pão de Açúcar

Um dos símbolos e cartões-postais do Rio de Janeiro não poderia ficar de fora. O parque turístico Bondinho Pão de Açúcar é formado pelos morros da Urca e do Pão de Açúcar que, interligados por um teleférico (bondinho), permitem que você contemple novos ângulos da cidade do Rio de Janeiro, a uma altura de até 396 metros acima do nível do mar.

É sempre bom comprar ingresso antecipadamente para evitar filas, ganhar desconto e poupar tempo. O passeio ao Bondinho Pão de Açúcar começa na estação Praia Vermelha, sobe para o Morro da Urca e vai até o Pão de Açúcar, que são interligados por duas linhas de teleférico. Também pode-se chegar até o Morro da Urca por uma trilha (bem fácil) que tem início num trecho da pista Cláudio Coutinho.

Jardim Botânico

Dedique um tempo a conhecer o nosso Jardim Botânico. Ele possui o maior acervo botânico da América do Sul em uma das áreas verdes mais preservadas do Rio de Janeiro. É aberto ao público, porém, pago. Todas as informações estão no link na primeira linha. É um ponto de tranquilidade, local para os amantes da natureza e excelente lugar para fotos, principalmente na Aleia das Palmeiras, com 134 palmeiras-imperais que medem entre 15 e 45 metros de altura.

Maracanã

Somente pra quem é fã de futebol vale fazer um tour pelo Maracanã. Melhor ainda seria se pudesse assistir a uma partida no estádio. O “Maraca” foi inaugurado em 1950 como maior estádio do mundo com capacidade para 200 mil torcedores. Depois houve uma reforma em 1999, visando a realização do Mundial de Clubes FIFA de 2000 e reduziram sua capacidade para 103.022 pessoas. O estádio voltou a ficar fechado de abril de 2005 a janeiro de 2006 para reformas da solenidade de abertura dos Jogos Pan-americanos. Nessa reforma o estádio perdeu a tradicional “geral”, área mais popular, onde se cobravam preços irrisórios para que pessoas mais pobres pudessem participar das partidas.

A capacidade do Maracanã foi reduzida para 78 mil pessoas com a reforma visando a Copa do Mundo de 2014, no próprio Rio de Janeiro. Para assistir uma partida é preciso entender quem estará jogando na época da viagem. A concessão do Maracanã cedida pelo governo foi renovada com certa frequência nos últimos anos, por isso, depende muito da época e da competição.

Praias

Um dos cartões-postais da cidade é a praia de Copacabana, preferida dos gringos. Mas se você quiser entrar na água e curtir uma praia sem preocupação, existem outras possibilidades melhores como a Praia de Grumari, área de preservação ambiental, a Praia da Reserva, entre a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes, a Prainha, na região do Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio, a Praia do Arpoador, um dos melhores lugares para se curtir o pôr-do-sol no Rio e também a Praia da Joatinga, pequena e escondida, porém, linda.

Fuja da mesmice

Todos os lugares citados acima são lindos, mas dependendo do tamanho da viagem, é importante conhecer alguns lugares que fogem um pouco do lado turístico, como por exemplo, a Ilha da Gigoia. Um lugar super tranquilo, na Barra da Tijuca, com apenas 3 mil moradores, acessado apenas de barco e com alguns restaurantes de frutos do mar.

A Praia do Secreto fica na região do Recreio e quase não tem faixa de areia. Na verdade é como uma piscina natural que enche quando a maré está alta e some quando baixa. Dá pra chegar via Praia da Macumba pelas pedras ou por um trilha.

Localizado na Urca, Zona Sul do Rio, há um famoso muro conhecido como Mureta da Urca. Lugar com uma vista maravilhosa onde os cariocas vão em busca de petiscos, tomar uma cerveja gelada e curtir o por do sol. Ele tem como referência o Bar Urca. Mas como todo carioca gosta de dar um jeitinho, mais pra frente existe a Pobreta da Urca, espaço onde tudo acontece da mesma forma, mas de um jeito mais barato. A Pobreta tem como uma das referências o Urca Grill.

Comments

Deixe um comentário