SYDNEY

Sydney Opera House

O símbolo do turismo na Austrália é representado pela Opera House. Seu réveillon é um dos mais concorridos do mundo, com fogos de artifício saindo de balsas e da Sydney Harbour Bridge. Sua fauna é única, animais que você só encontra praticamente na Austrália, como cangurus, wallabies, entre outros marsupiais, anfíbios, répteis, peixes e aves. Apesar desses cartões-postais, Sydney não está (ainda) nem entre as 50 cidades mais visitadas do mundo no ranking de 2018.

Sydney é a cidade mais populosa e multicultural de toda Oceania, com quase quatro milhões e meio de habitantes. Possui algumas das melhores praias do país, das mais de 100 que você encontra ao longo da costa do Oceano Pacífico. Uma temperatura agradável e um clima sub-tropical, parecido com o nosso, no Brasil. Também conta com programações culturais (museus, exposições, feiras, festivais, shows) e esportivas (suft, rúgbi, futebol australiano, cricket) extensas. Povo cordial, hospitaleiro e acostumado com a diversidade cultural e gastronômica.

Onde ficar?

Onde se hospedar? Essa é uma pergunta que depende bastante do seu estilo de viagem e do seu esforço financeiro, pois é uma das cidades mais caras da Austrália. Você está viajando com a família e crianças? Prefere mais perto da praia ou das atrações turísticas? Vamos lá!

O centro de Sydney, região que oferece ótimas opções de hotéis, o The Rocks e o Circular Quay são duas localidades onde se está perto de algumas das principais atrações turísticas, fácil acesso ao transporte público, porém, mais afastado das praias. Há opções 5 estrelas, mas também há algumas opções mais econômicas, com bom custo-benefício. Nessa região que ficam ancorados os navios de cruzeiro. No The Rocks, você acha até alguns ótimos hostels.

The Rocks, região de Sydney
The Rocks, Sydney ao anoitecer.

Também na região do centro, o CBD (Central Business District), também conhecido como City, você tem opções de pubs, restaurantes, boates, shoppings e próxima de grandes parques, além de estar super bem posicionado para pegar o transporte, como metrô e linhas de ônibus para qualquer lugar da cidade e a  cerca de 20 minutos de caminhada do Circular Quay. A desvantagem é que como é o centro financeiro da cidade, a noite e finais de semana as ruas ficam menos movimentadas.

Central Business District (Sydney) - Westfield Shopping
Central Business District (Sydney) – Westfield Shopping

Ainda na região do centro, o Darling Harbour pode te proporcionar a vista mais bonita da cidade. Várias das atrações turísticas estão aqui, além de ser uma área bastante animada, com bares, restaurantes e shopping por esse motivo, se o roteiro estiver apertado, com pouco dias na cidade, considere este local.

Darling Harbour a noite
Vista de Darling Harbour

Bom, e se o objetivo é surfar ou curtir bastante as praias, considere uma hospedagem perto delas. Sejam elas, Bondi Beach (10 quilômetros do CBD), Coogee, localizada no leste da cidade ou Manly, que é uma região mais tranquila, para quem quer fugir um pouco do clima de cidade grande. Um subúrbio a beira mar, com um comércio muito bom, alguns restaurantes legais e uma praia maravilhosa.

Onde comer?

O que fazer?

Em Sydney podemos fazer tudo com transporte público, sejam eles ônibus, metrô, trem ou ferry. Todos os horários dos ônibus estão disponíveis nos próprios pontos ou ao alcance de qualquer aplicativo de localização no celular. E pode-se confiar 100% nos horários, pois todo o sistema, além de abranger toda a cidade, é pontualíssimo. A cidade também é muito segura, então não se preocupe muito em pegar ônibus, até mesmo de madrugada. Vamos ver algumas das atrações que Sydney nos proporciona:

Darling Harbour

Darling Harbour é um complexo de lazer em uma zona portuária. Local muito agradável, possui vários restaurantes, lojas e um shopping. Além disso, o zoológico Wild Life Sydney Zoo e o aquário de Sydney (Sealife Sydney Aquarium) estão lá, ao lado do outro, bem como o Madame Tussauds e o Museu Marítimo Nacional de Austrália (onde pode-se subir a bordo de um navio de guerra). O Chinese Garden of Friendship, também localizado em Darling Harbour, é um jardim chinês muito bonito, perto da Chinatown de Sydney. Custa $6 para adultos e $3 para crianças menores de 12 anos. É um ambiente muito tranquilo, com muitas plantas, flores, peixes e até algumas roupas típicas que se pode alugar para usar e tirar fotos. É um passeio rápido e legal de se fazer.

Chinese Garden of Friendship - Sydney
Chinese Garden of Friendship

Darling Harbour é um lugar muito charmoso, frequentemente montam-se algumas atrações em datas comemorativas, pedalinhos, passeios de barco e exposições. Além disso, quase todos os sábados às 20h30 (21h durante o horário de verão) tem fogos de artifício. Recomendo muito, apesar de haverem opções caras por lá, é possível encontrar diferentes alternativas e não necessariamente gasta-se muito.

Circular Quay

Circular Quay, Sydney pela manhãCircular Quay é um terminal de ferry localizado na orla do centro da cidade, no Porto de Sydney. Também é o principal centro de transportes que liga as balsas em diferentes locais no porto a outras partes da cidade. Também é o principal eixo para a maioria dos outros meios de transporte. Há muitos restaurantes (mais caros), algumas lojas de souvenires (não compensa comprar lá!) sorveterias e o Museu de Arte Contemporânea de Sydney (Museum of Contemporary Art).

Museu de Arte Contemporânea de SydneyNesse museu a entrada é gratuita, é possível ver a maioria das exposições de graça, apenas a exposição principal do momento que é paga. Mas a área grátis do museu em si já vale a pena, além de ter também um café no terraço chamado MCA Cafe, com uma vista maravilhosa do Circular Quay, pegando o Opera House e a Harbour Bridge. Vale a pena visitar o local, não apenas pela Opera House. É um cenário lindo para uns drinks no final da tarde. Pode-se fazer a travessia de ferry para o Darling Harbour ou apenas ir caminhando.

Taronga Zoo

O Taronga Zoo é uma das atrações mais populares da cidade. O zoológico está localizado às margens da Baía de Sydney e a forma mais comum e rápida de chegar até ele é pegando a balsa que sai de Circular Quay em direção ao Taronga. Esse caminho, de 15 minutos, nos mostra uma das grandes vistas de alguns dos principais cartões postais de Sydney. O passeio começa com a subida em um teleférico, tem a visitação comum com os animais da fauna nativa, como coalas, cangurus, wallabies, ornitorrincos, diabo da Tasmânia, contabilizando mais de 350 espécies, oferece arvorismo para adultos e crianças e também diferentes shows e apresentações durante o passeio. O ingresso custa $42.30 por adulto e $24.30 por criança, entre 4 e 15 anos. A dica é comprar o ingresso antecipadamente. Caso não esteja com ingresso em mãos, terá que pegar um ônibus, ir para um local mais afastado e perderá tempo.

Opera House

A Opera House é simplesmente um dos maiores símbolos não só de Sydney, como da Austrália. Caso você queira conhecer o Sydney Opera House por completo, existe um tour guiado que leva em torno de uma hora, em inglês e que te leva em várias salas contando sobre da história do local. Somente o tour custa $40 dólares, mas vale muito a pena, porque o preço dos ingressos dos shows pode ser caro dependendo do que for. O local também possui um restaurante e uma lojinha. O tour + jantar custa $71 dólares. Caso você opte por assistir um show, tem direito a visitar o Opera House antes ou após o show. O preço dos espetáculos variam muito, mas a lista de eventos você encontra no Sydney Opera House Events.

Vivid Lightshow Sydney Opera House Sydney Australia
Vivid Lightshow Sydney Opera House Sydney Australia

The Rocks

Placa da região The Rocks SydneyThe Rocks é um bairro antigo, um dos primeiros de Sydney, que conservou toda sua arquitetura histórica. Hoje turístico, é muito charmoso e agradável de passear. Aconselho que vá um dia a algum dos vários pubs, ouvir música ao vivo e beber alguns chopps. No happy hour, os chopps compensam bastante, não fica caro e é um clima incrível. O bairro ainda abriga um parque com várias colinas chamado de Observatory Hill, onde subindo essas colinas você tem uma visão panorâmica do Porto de Sydney. E dentro do parque funciona o Sydney Observatory. Não perca essa vista! A visitação é grátis durante o dia e a noite precisa reservar com antecedência. Para explorar usando o telescópio em um tour são $10 dólares durante o dia e $27 a noite.

Chinatown

Aqui é o melhor lugar de todos pra se comprar souvenir. Tem absolutamente tudo que você vai ver em lojas pela cidade, mas pela metade do preço, principalmente no primeiro andar do Haymarket. Esse shopping não é dos mais lindos, (lembra o Saara do RJ ou a 25 de março em SP hahaha) mas é o melhor lugar de Sydney pra comprar lembrancinhas e outras besteirinhas. Como toda a grande metrópole, a cidade também tem seu bairro tipicamente chinês.

Queen Victoria Building

Queen Victoria BuildingCarinhosamente conhecido como o QVB, o Queen Victoria Building foi projetado para ser um centro de compras, alimentação e entretenimento. Passou por uma renovação luxuosa, mas manteve suas fachadas e características originais. É uma espécie de shopping/galeria absolutamente lindo, que ocupa um quarteirão e onde você vai encontrar as melhores (e mais caras) lojas, alguns cafés e restaurantes, além de uma arquitetura linda, com vários vitrais, desenhos com azulejos, teto decorado, colunas, estátuas, tudo em um estilo clássico. Provavelmente vai ser aquele lugar que você não vai comprar muita coisa (falando de mim), mas vale a pena visitar e tomar um café.

Sydney Town Hall

Sydney Town Hall Prefeitura de SydneyÉ o prédio da prefeitura de Sydney. Foi um pouco decepcionante, na verdade, pois não há passeio no interior do local, você pode apenas visitar por fora. Existe um grupo de fãs (voluntários) do Town Hall que programam visitas, mas é necessário fazer uma reserva através deles, Friends of the Town Hall, para participar de uma visita guiada. No final eles pedem uma doação de $5 para os projetos específicos no prédio. As vezes acontecem algumas exposições gratuitas nos arredores. Como fica ao lado do Queen Victoria Building, você não perde muito tempo se quiser apenas dar uma olhada.

CBD

O Central Business District é o centrão de Sydney. É o centro financeiro e comercial da cidade. Você acaba passando por ele para ir em outros pontos turísticos. Nele você vai apreciar diversos restaurantes, pubs, boates e muitos prédios comerciais. É nele que fica também o Sydney Tower, um dos prédios mais altos da cidade e com vista em 360 graus. Você pode visitar o prédio pagando um valor em torno de AU$30,00 por pessoa ou se fizer uma reserva para jantar ou tomar drinks no restaurante Sydney Tower Buffet. Se optar por ir andando do Circular Quay para o Darlig Harbour você passará pelo CDB no meio do caminho e pode parar em alguns lugares para apreciar e tirar fotos.

Australian Museum

O Australian Museum fica praticamente no coração da CBD. É o primeiro museu e primeiro museu público da Austrália. Apesar de antigo, é um museu interativo novo e com diversas atividades interativas e tem de tudo, exposição de dinossauros, história nacional e internacional e uma coleção de mais de 18 milhões de objetos que abrangem cultura e história natural, sendo um museu extraordinário. É pago, mas compensa a experiência. São $15 dólares australianos por adulto e crianças menores de 15 anos tem entrada gratuita. Na época que fomos estava tendo uma exposição temporária sobre mamutes, em especial um que foi achado na Austrália, foi bem interessante.

Hyde Park

Hyde ParkO Hyde Park é o parque público mais antigo de Sydney e situa-se na região do CBD. Muito bonito, arborizado, com várias atrações em volta, como o Australian Museum e a St. Mary’s Cathedral. Frequentemente tem pessoas correndo, pegando sol ou fazendo piqueniques, é um lugar bem agradável. Dentro do parque está o ANZAC Memorial é um memorial dedicado aos heróis de guerra australianos e neo-zelandeses que formavam o Australian and New Zealand Army Corps na Primeira Guerra Mundial.

St. Mary’s Cathedral

St Mary’s CathedralSt Mary’s Cathedral é uma catedral belíssima, mesmo para quem não é religioso. A entrada é gratuita e o local é bem bonito. Há visita guiada grátis aos domingos após a missa de 10:30. A visita a cripta custa US $ 5,00 e tem os túmulos dos bispos e um impressionante piso de mosaicos em forma de cruz representando a Criação. A Catedral tem vista para o Central Business District de Sydney e fica em frente ao Hyde Park, por isso seu roteiro pode incluir o parque e a St Mary’s Cathedral no mesmo dia.

Royal Botanic Garden

Royal Botanic GardenBem ao lado da Opera House e a beira do mar, o jardim botânico Royal Botanic Garden é deslumbrante por dentro e com uma vista linda para fora. É um parque grande, com espaço para recreação e exercícios físicos ou simplesmente para fazer piqueniques, relaxar, se inspirar e aprender sobre plantas e jardinagem. Lá dentro também tem uma uma espécie de forte, que estava fechado quando fomos, mas um cinema ao ar livre muito interessante. Excursões grátis acontecem diariamente às 10h30 ao longo do ano, e um passeio adicional acontece a partir das 13h, de segunda a sexta-feira (de março a novembro). Também há visitas guiadas para provar a comida dos aborígenes todas as quartas, sextas e sábados às 10h. Todas precisam de reservas.

Ivy

Complexo de Entretenimento Ivy em SydneyA vida noturna de Sydney é um pouco diferente da brasileira com relação a horários. Bares e boates fecham relativamente cedo, bares por volta das 22 horas e noitadas no máximo às 3 da manhã. O complexo de entretenimento chamado, Ivy, tem uma das boates mais famosas de Sydney. Cada andar com um ambiente diferente: lounges, restaurantes, bares, boates e o último andar oferece uma pool party. A piscina fica numa parte mais calma, não é no prédio principal, você tem q descer, andar pro prédio do lado (uns 10 passos) e subir de novo, lá tem outro bar, num esquema mais tranquilo. A Ivy é uma das que fecham mais tarde, e por volta de 1 da manhã tem o costume de parar de servir shots. A maioridade sãos os 18 anos, como no Brasil, mas na Austrália tem leis restritivas quanto à bebidas. É proibido o consumo de bebidas alcoólicas em lugares públicos, como rua, praias e parques.

Praias

Coogee Bondi Coastal Walk

Em todos os sites e blog que pesquisarem vocês vão ler sobre essa caminhada costeira. Entre as famosas praias Coogee e Bondi há algumas outras belas praias menores e uma espécie de calçadão/trilha que as conecta. São 6km de caminhada, e apesar de bem tranquila de se fazer há caminhos íngremes e escadarias ao longo da trilha. São vistas espetaculares, praias, parques, falésias, baías e piscinas naturais. É recomendado que seja feita cedo, porque num dia de sol forte fica puxado fazer debaixo do calor. Da pra fazer de chinelo, não é uma trilha tipo de floresta, é mais um calçadão mesmo. Use protetor, óculos e beba bastante água. Demora cerca de duas horas para completar o trajeto Bondi a Coogee Beach, e mais uma hora e meia, se você optar por continuar para Maroubra. Com certeza um passeio imperdível pra quem vai a Sydney.

Coogee Bondi Coastal Walk

Coogee Beach

Praia ótima, mar que não bate muito e grande estrutura muito boa de banheiros e piscinas públicas, chuveiros, bebedouros e salva vidas, como a maioria das praias de Sydney. É menos cheia que Bondi, apesar de ser a praia mais badalada, mas longe de ser vazia. Também é acessível com transportes públicos.

Bronte Beach

Água cristalina e areia branquinha fazem dessa praia uma das mais bonitas. Inclusive, conseguimos ver peixes em alguns pontos. Apesar de pequena, Bronte Beach também conta com uma ótima estrutura e alguns bons restaurantes.

Bondi Beach

Podemos dizer que é a praia mais famosa de Sydney. Bastante movimentada nos finais de semana e, como grande parte das praias, possui uma piscina natural pública (na maioria das praias foram construídas piscinas na beira da água, com água do mar). Essas piscinas são chamadas de Bondi Icebergs e são cobrados AU$ 7 por pessoa/dia. E o aluguel de toalha custa AU$ 3,50 por pessoa. A praia tem muitas lojinhas, bares e restaurantes premiados com excelentes vistas em ambas as extremidades da praia, que se estende por 1,5 km.

Uma das curiosidades da praia são os clubes de salva-vidas voluntários. O North Bondi Surf Life Saving Club foi fundado em 1906 e salva-vidas voluntários patrulham a praia e resgatam nadadores em perigo, garantindo a segurança de quase 2 milhões de pessoas todos os anos. A parte norte é mais segura para banhistas e a parte sul dedicada a surfistas, onde inclusive, acontecem campeonatos nacionais e internacionais de surfe. Mas mesmo na parte norte, é recomendado ficar atento às bandeiras, onde há salva-vidas de prontidão. Não há como ir a Sydney e não visitar Bondi Beach. Em Bondi também rola um cinema ao ar livre (Openair Cinema Bondi Beach), diferente do Royal Botanic Garden, durante o verão, meses de janeiro a março.

Bondi Beach

Manly Beach e Shelly Beach

Manly fica a uns fica a uns 30 minutos de ferry, saindo do Circular Quay. É um lugar mais calmo, com um clima muito agradável, aprazível e diversas praias, nas quais destacam-se Manly Beach e Shelly Beach. Manly Beach tem uma parte para banhistas protegida por pedras onde não batem ondas fortes e outra parte para quem é adepto do surfe. A forma mais barata de se chegar até lá leva 30 minutos e custa AU$ 15,00 para quem inclui o retorno ou AU$24,00 dólares o passe ilimitado para o dia todo. Aos domingos, a passagem de qualquer transporte público custa AU$2,50, por isso as praias ficam mais cheias. Já Shelly Beach fica a mais ou menos 15 minutos de caminhada de Manly Beach e sua praia é no estilo “piscininha amor”. Ideal para prática de prática de snorkeling, ver o peixinhos e apreciar o por do sol.

Atrações e preços

*Atualizado em janeiro de 2019

Bate-volta

Sydney oferece uma quantidade suficiente de atrações para diferentes roteiros, mas se você estiver com dias sobrando ou fazendo intercâmbio, há muitas regiões e opções nos arredores da cidade. Separei algumas alternativas a alguns quilômetros de Sydney,

Blue Mountains

O Blue Mountains National Park é um parque nacional listado como patrimônio mundial da UNESCO. É um trajeto que se faz tranquilamente de trem e está a 50 km de Sydney, cerca de 2 horas de distância. Basta descer na estação de Katoomba (cidadezinha onde fica o parque) e pegar um ônibus ou andar até o ponto principal do parque, o Three Sisters. Nesse local tem uma lojinha e funcionários informando o caminho, quais trilhas são melhores caso você esteja meio perdido. A Three Sisters nada mais é que uma montanha com 3 picos rochosos, que possui uma mini trilha pra chegar no pé delas. Um visual único, muito bonito. É a principal atração do local. O parque tem trilhas para todos os gostos. Trilhas hardcore, trilhas meio termo, trilhas fáceis, caminhadas ou somente curtir o visual e estar em contato com a natureza. Um pouco mais afastado das Three Sisters tem um lugar chamado Scenic World, que tem um carrinho envidraçado, estilo “montanha russa”, que te leva pro meio do vale e depois você também pode retornar por ele ou descer uma trilha puxada. Mas também há opções de teleféricos. O parque é lindo e se você tiver disposição tem umas trilhas bem legais; que te levam a cachoeiras e vistas lindas, vale muito a pena. O Scenic World abre 365 dias por ano, das 9 às 17 horas. Os preços para adultos variam entre AU$37,00 e AU$49,00, dependendo da época do ano.

Three Sisters em Blue Mountains National Park

Figure 8 pools

Figure 8 pools8 pools em Sydney é uma formação rochosa natural na costa das muitas atrações do Royal National Park. São várias piscinas naturais no formato perfeito de um 8. Para chegar, basta pegar o trem a partir da Central Station, que leva 1 hora até Otford Station ou contratar uma agência de turismo. De Otford Station já começa a trilha de mais ou menos 2 horas, longa e em certos pontos até perigosa. Metade da trilha é na floresta e o resto pela praia chamada Burning Palms Beach. Depois segue uma caminhada de 20 minutos em rochas e longe de ser tranquila. Verifique a maré antes de sair para pegar somente as marés baixas e confirme esses horários no dia anterior, porque com a maré alta ou com as ondas ainda batendo é perigoso e não é possível ver bem as piscinas. É perigoso porque as piscinas ficam numa espécie de platô de pedra do lado do mar, então se a maré estiver alta ainda ou as ondas batendo elas pode te arrastar na pedra.

Palm Beach

Palm Beach e Broken BayPalm Beach está localizada no ponto mais ao norte de Sydney, mas é possível chegar de ônibus tranquilamente. São cerca de 40 km do CBD. Na praia tem um farol no alto de um morro que tem uma vista absurda, que você faz por meio de uma trilha até o topo. O visual compensa a subida, mais até do que pela praia em si. Do alto você tem a visão da praia, um trecho de mata no meio e da outra praia, conhecida como Broken Bay. Rende altas fotos. Indo na temporada certa, dizem que é possível avistar baleias  do topo.

Morisset Park

Morisset Park fica um pouco mais afastado de Sydney, a cerca de 120 km da região. Da estação central de trens de Sydney (Central Coast & Newcastle Line) até a estação de Morisset (Morisset) são aproximadamente 2 horas. Para chegar no parque, vá de Uber ou van, que já fica na estação e cobra em torno de AU$5,00 por pessoa para levar até a entrada do parque dos cangurus. Há uma placa com o telefone pra você ligar pra eles caso a van não esteja lá na hora que você chegar. Se estiver na vibe fitness e low cost, vale caminhar 5 km até a entrada. O parque é LOTADO de cangurus e gratuito. Eles são muito dóceis, estão acostumados com humanos. Têm varias placas falando que não pode alimentar porquê interfere no comportamento, mas todo mundo leva banana e cenoura. É imperdível, eles ficam pertinho de você, da pra interagir muito e tirar muita foto.

Vou manter o que estava escrito acima, mas hoje o “parque” está fechado. Toda a enorme área verde aberta, na verdade faz parte das instalações do Hospital Morisset, que cuida de pessoas com problemas de saúde mental, um hospital psiquiátrico. Infelizmente, os turistas abordavam os cangurus, alimentando-os e interagindo, apesar das placas de sinalização instruindo a não fazer, a também abordavam alguns pacientes de saúde mental, que pode afetar seus cuidados e bem-estar. Os administradores soltaram a seguinte informação: “Como o espaço será fechado em breve para visitantes em geral, também solicitamos que as operadoras de turismo e outras áreas de informações sobre visitantes removam qualquer referência à instalação como atração turística.” Vale pesquisar melhor no momento da sua viagem para ver se esse situação se alterou.

Featherdale Wildlife Park

Featherdale Wildlife ParkO Featherdale Wildlife Park era uma fazenda de aves domésticas, como galinhas, perus, patos, e que foi evoluindo para um parque privado de vida selvagem australiana. Está localizado no caminho para as Blue Mountains e saindo bem cedo, pode incluir os dois no mesmo roteiro. O caminho mais comum é pegar o trem para Blacktown e ao descer pegar o ônibus 725 na própria estação. O ônibus te deixará na porta do parque. Os ingressos custam AU$32,00 o adulto e AU$19,00, crianças de 3 a 15 anos. É o único parque da região que permite contato e fotos com os coalas, são muitos. Mas paga-se AU$25,00 por foto, sendo extremamente caro. No Featherdale há várias outras espécies de animais, como um crocodilo enorme (aquele que o Will Smith alimentou), cangurus, onde também é permitido alimentá-los numa área cercada. Em New South Wales, , local, do parque, há uma lei que proíbe as pessoas de segurarem coalas, como a maioria das regiões, então se você quiser segurar um coala, terá que ir para Queensland, um dos poucos a permitir aproximação. Como curiosidade, o coala dorme entre 18 e 22 horas por dia e cheira a eucalipto, pois é a única folha de que se alimentam.

The Sydney Pass Opal Card

Opal Card SydneyA cidade conta com um sistema de cobranças de tarifas, onde todos os meios de transporte podem ser pagos através do Opal Card, um cartão pré-pago que pode ser adquirido online, em pontos espalhados pela cidade, como lojas de conveniência ou na maioria das estações de trem. O crédito vai sendo debitado de acordo com a distância percorrida. Veja alguns benefícios do cartão:

  • Quanto mais você viaja, mais você poupa. Após 8 viagens pagas (sem contar baldeação) em uma semana (segunda a domingo), todas as suas viagens pelo resto da semana saem por metade do preço;
  • Viaje o quanto quiser de ônibus, trem, ferry ou bonde. Você nunca pagará mais do que AU$15,80 por dia, AU $ 63,20 por semana, ou AU $ 2,70 no domingo;
  • Você precisa passar o cartão na entrada e na saída, se não pagará a tarifa cheia do meio de transporte;
  • Se você fizer várias viagens usando o mesmo modo de transporte, desde que sua transferência ocorra dentro de 60 minutos após o término de sua última seção da viagem (com exceção do Sydney Ferries Manly ferry, com tempo de 2 horas e 10 minutos), ela conta como uma única viagem e uma única tarifa;
  • Se você alternar os modos de transporte durante uma viagem, você ganha um desconto de AU $ 2 a cada vez que você transferir para um novo modo de transporte, por exemplo, de trem para ônibus ou de ônibus para ferry;
  • Um desconto de 30% se aplica a todas as viagens de trem feitas nos fins de semana, feriados e viagens fora dos horários de pico. Em dias úteis funciona assim: Sydney Trains de 7 Às 9 e 4 às 6.30 e NSW TrainLink 6 às 8 e de 4 às 6.30.

Dicas

Para entrar na Austrália, seja brasileiro ou qualquer outro cidadão fora da Oceania, é exigido o visto de turista. O visto de turista australiano tem duração de um ano. O tempo máximo de permanência do visitante no país com este documento é de no máximo três meses. O visto não é físico como o americano, fica armazenado em banco de dados e possui uma taxa de AU$140,00.

Assim como no Brasil, o fluxo de carros na Austrália é intenso, e por isso eles investem muto dinheiro nas vias e rodovias. Então, é importante saber que se quiser alugar um carro em Sydney, a mão é inglesa, ou seja, o volante na direita. Mas vale usar os meios de transportes públicos, pois são muito bem estruturados, mais ecológicos e mais econômicos.

Entre o final de maio e meados de junho (durante o inverno) acontece o Vivid Sydney, o mundialmente famoso festival de luz, música e ideias. A noite, as atrações turísticas, as fachadas dos prédios, as embarcações marítimas, todas as instalações ganham iluminações em larga escala, luzes de laser e projeções 3D, transformando a cidade numa enorme obra de arte. Além disso, há programações culturais, musicais, shows e palestras, e acima de tudo, de graça. Um espetáculo de ser visto.