Maldivas é o sonho, o desejo de muito casal em lua de mel. Ainda mais com várias celebridades atualizando o feed do Instagram naqueles cenários paradisíacos. As Maldivas são um arquipélago de 1.192 ilhas no Oceano Índico e apenas 200 destas ilhas são habitadas. Sem rios ou montanhas, é o país com mais baixa altitude no mundo (está no Guinness Book). As Maldivas também abrigam cerca de cinco por cento dos recifes do planeta e são o lar de mil espécies de peixes. Apenas 1% do território é terra firme, ou seja, 99% do seus 300 km² são apenas água.

Melhor época para visitar

Melhor época para visitar Maldivas

Nas Maldivas é considerada alta temporada de dezembro a abril, com poucas chuvas e baixa umidade. A baixa temporada é de maio a novembro. A temporada de monções nas Maldivas começa por volta de abril e dura até outubro. Junho é o mês que experimenta chuvas fortes. Em outubro as chuvas começam a diminuir e os céus se tornam mais claros. No caso de uma tempestade tropical ou ciclone, os residentes e hóspedes são realocados para áreas seguras. Felizmente, as Maldivas não são tão sujeitas a ciclones como outras ilhas, apenas 11 ciclones afetaram o país em mais de 128 anos.

Islã como religião oficial

A religião oficial de Maldivas é o islamismo

Nas Maldivas, o islã é a religião oficial e existem muitas mesquitas espalhadas pelas ilhas. O muçulmano é proibido lei islâmica de beber álcool ou comer alimentos cozidos em álcool, por esse motivo só é permitido aos turistas consumir bebidas alcoólicas nas instalações dos hotéis/resorts e navios, e não deve ser levado para fora de uma ilha. Pela lei do país, você também não pode entrar com bebidas, portanto, cuidado no duty free. A pratica aberta de qualquer outra religião, bem como o consumo de carne suína são igualmente ilegais nas Maldivas.

Outra informação importante com relação a lei islâmica é que ela incentiva a privacidade, a modéstia e a moralidade ao se vestir, ou seja, nudez e topless são proibidos em todas as Maldivas, inclusive nas ilhas. Apesar de você encontrar algumas notícias de celebridades fazendo topless, é proibido. Fora do resort, em certas praias ou nas ruas, como na capital Malé, os residentes não estão acostumados a ver pernas de homens em bermudas, shorts ou ombros descobertos de mulheres. Demonstrações públicas de carinho e afeto também são ofensivas em áreas não turísticas, tanto heterossexuais como LGBTQIA+.

Qual moeda levar?

A moeda das Maldivas é oficialmente chamada de rúpia maldívia (Rufiyaa, sigla MVR), mas a melhor moeda para se levar são os dólares americanos e comprados em casas de câmbios no Brasil. O dólar é aceito em todos os resorts, porém, nas ilhas públicas é melhor ter um pouco de rúpias também. Algumas dessas ilhas menosres costumam não aceitar dólares. Você pode levar também um cartão pré-pago, aceito nas ilhas locais e também um cartão de crédito habilitado internacionalmente para eventualidades.

Aeroporto de Malé

Aeroporto de Malé Maldivas

Todos os voos internacionais chegam nas Maldivas pelo Aeroporto Internacional de Velana (MLE), antigo Ibrahim Nasir, que fica na Ilha Hulhulé, no norte Atol de Malé. Uma dica bem legal é sentar do lado esquerdo do avião pra ver aqueles bangalôs tão conhecidos e desejados das Maldivas. Ao chegar no país, você não precisa de visto antecipado para conhecê-lo, a autorização é emitida na chegada ao país e sem taxas. A única exigência é o certificado internacional de febre amarela, regra em vários países asiáticos. O seguro viagem não é obrigatório, mas para qualquer viagem internacional é extremamente aconselhável.

Preço dos voos

Voos para Maldivas

Não há voos diretos do Brasil para Maldivas. Você necessariamente terá que fazer conexão, seja stopover ou não, em algum país da Ásia ou Europa como principais trechos atualmente. Londres (British Airways), Paris (Air France), Frankfurt (Lufthansa), Zurique (Swiss) ou Doha (Qatar Airways) e Dubai (Emirates Airlines).

O que vale muito a pena e a maioria dos viajantes faz é combinar as Ilhas Maldivas com outro destino que possua voo direto para aproveitar o valor da passagem e economizar no total. Você conhece dois destinos com praticamente o mesmo valor que pagaria num voo com escalas comuns.

Promoções para Tailândia, Índia ou outros países asiáticos, por exemplo, podem facilitar essa economia. Nova Délhi, Mumbai, Bangkok, Kuala Lumpur, Cidade de Cingapura, Jacarta são opções. Já li relatos e fiz simulações onde você encontra passagens a US$100, US$200 dólares o trecho. Você compra uma passagem direto para esses países e depois se preocupa em achar uma passagem do país que você escolheu para Maldivas. África do Sul também pode ser interessante e própria Latam costuma fazer umas promoções para Joanesburgo.

Essa dica é válida também para os países da Europa, tal como, Paris, Londres, Istambul, Amsterdam, etc. A pesquisa e a antecedência, como falamos na postagem sobre como fugir dos preços caros de passagens aéreas se tornam ainda mais importantes quando o destino é mais distante e consequentemente mais caro.

Normalmente o preço das passagens ultrapassa os R$5.000 com facilidade. Passagens entre 4 e 5 mil estão com preços razoáveis e tarifas abaixo de R$4.000 são promoções muito baratas. Esses preços logicamente são baseados na classe econômica.

Preço dos transportes nas Maldivas

Deslocamento hidroavião Maldivas

O meio de transporte mais barato e popular é o ferry e você encontrar os valores no site da MTCC. Eles variam de acordo com a distância das ilhas, porém, nem todas as ilhas tem acesso via ferry. Encontramos preços de $3,25 a $35 dólares por pessoa.

O Speedboat (lancha) é a melhor relação custo-benefício por causa do tempo de trajeto. Elas podem ser administradas pelo resorts e estarem dentro do pacote ou via empresas privadas. De novo, depende da distância entre as ilhas. O convés dessas embarcações tem uma parte aberta, que permite ver toda a beleza do caminho e de forma panorâmica. A Atoll Trasnfers é uma das empresas que faz esses trajetos. O preço pode variar muito, entre 35 e 500 dólares.

Há mais de uma companhia aérea de hidroavião nas Maldivas, mas a Trans-Maldivian (TMA) é de longe a maior. Na verdade, é a maior operadora de hidroaviões do mundo. O trajeto é mais rápido e utilizado quando os hotéis/resorts são mais afastados, o preço varia entre $475 e $600 dólares por pessoa, ida e volta. Mas pode chegar a $900 dólares nos mais luxuosos resorts.

Os dois lados das hospedagens

Maafushi Ilha Local Madivas

Aqui começa a diversão! Existem dois lados de hospedagens nas Maldivas. O primeiro é vemos sempre no Instagram, nas imagens do Google e nos sites de fofoca com famosos. São aqueles bangalôs sobre a água, destino dos sonhos e que tem o céu como limite financeiro. Mas há também o lado das ilhas locais (ou também chamadas públicas), segredo de quem quer conhecer o país asiático, mas pretende evitar gastar uma fortuna. E o que importa é conhecer, viver a experiência, independentemente se é resort de luxo ou hotel econômico.

As ilhas que vou citar abaixo podem caber no seu orçamento, dando a chance de você conhecer todas as belezas naturais que Maldivas tem a oferecer. Todas as ilhas tem os conhecidos guests houses, que são casas particulares convertidas em acomodações e hotéis mais baratos. As hospedagens oferecem diárias que variam entre 40 e 90 dólares, algumas inclusive, com café da manhã incluído. Seguem abaixo alguns exemplos de ilhas locais que permitem a você, experimentar um pouco da vida local e traz paisagens incríveis e com baixo orçamento:

Maafushi – South Male Atoll
Dharavandhoo – Baa Atoll – Patrimônio da Unesco
Thoddoo – North Ari Atoll
Ukulhas, North Ari Atoll
Dhigurah – South Ari Atoll
Thulusdhoo – North Male Atoll – paraíso do surfe
Omadhoo, North Ari atoll
Bodufolhudhoo – North Ari Atoll
Kelaa – Haa Alifu Atoll
Thinadhoo – Vaavu Atoll
Hanimaadhoo, Haa Dhaalu Atoll

O que fazer nas Maldivas?

Esportes aquáticos Maldivas

As principais atrações turísticas das Maldivas são as águas cristalinas e os cenários paradisíacos. Por esse motivo existe uma grande variedade de esportes aquáticos que estão disponíveis para serem praticados pelos visitantes. Um dos mais populares é o snorkel, onde alguns hotéis emprestam de forma gratuita e outros alugam por preços baixos (8 dólares). Há também a opção de snorkel safari, para explorar toda a paisagem subaquática com guia. Custa entre 20 e 80 dólares.

O surfe, o passeio para conhecer outras ilhas, mergulho com cilindro, wake boarding, jet ski, fly board, wind surfing, barco a vela, kite surfing, jet surfing, o tradicional banana boat e até mesmo pescaria são outras atividades bastantes praticadas. Para saber o valor desses passeios, basta usar como referência a tabela do Oceanico Maldives. Visitar a ilha local pra conhecer como as pessoas vivem é outro passeio diferente. Você vai encontrar dos mais variados preços, desde 35 dólares até uma aula de mergulho com cilindro de $1500. Se a hospedagem for em Maafushi, vale checar os custos com a empresa Icom Tours, bem recomendada na internet.

Maldivas também é um dos melhores lugares para mergulhar com tubarão baleia do mundo. Em Dhigurah, por exemplo, eles podem ser vistos durante todos os meses do ano. O país asiático também é considerado um dos principais destinos de golfinhos do mundo, e eles estão por toda parte. Já pensou em jantar embaixo d’água? Além da beleza natural e da vasta vida marinha, Maldivas tem 6 restaurantes subaquáticos onde as refeições saem em média $300 dólares por pessoa.

Afinal, quanto custa?

Quanto custa viagem Maldivas

Respondendo, enfim, a pergunta título, vamos considerar um planejamento de 5 diárias, ok? Uma passagem na promoção vamos gastar em torno de R$4.300. O seguro-viagem você consegue por R$200. Abrindo mão de ser hospedar em bangalôs sobre as águas, é possível se hospedar por R$1.500 os 5 dias. É preciso levar em consideração os deslocamentos e quanto mais trajetos forem feitos, mais caro é a viagem. Vamos colocar na conta então R$300 de deslocamento.

De modo geral, o sinal de wi-fi nas Maldivas é fraco ou não há sinal, mas a maioria das ilhas tem sinal de 4G. Logo na saída do aeroporto a gente pode encontrar duas operadoras: Ooredoo e Dhiraagu. Em ambas é possível comprar chips (simcard) por US$ 20, algo em torno de R$120 para não faltarem fotos e vídeos no seu feed durante a viagem.

Precisamos acrescentar uma parte simples, mas essencial: a alimentação. Nos restaurantes da capital Malé e das Ilhas Públicas (a maioria dos resorts ficam em ilhas privadas) você consegue gastar por volta de US$ 10 por refeição e com pratos bem servidos. O peso financeiro das refeições diminui, pois não há bebida alcoólica nesses restaurantes. Fazendo uma conta média de 3 refeições por dia, considerando café da manhã não incluído, estamos falando de R$900.

Passeios são fundamentais para a experiência da viagem. Marcam a memória e produzem várias histórias que serão contadas durante vários anos. Porém, os passeios são muito individuais, dependem muito da vontade de cada viajante. Os passeios mais comuns nas Maldivas começam em US$ 25. Vou usar como referência US$ 100/dia, aumentando em R$3.000 o custo da viagem.

Fala logo quanto custa

Fazendo essa soma e arredondando o resultado, chegamos a um valor de: R$9.000. Pra viajar de forma mais segura, comprar alguma lembrança e se preparar para qualquer eventualidade, podemos cravar em 10 mil reais o custo da viagem. Para o padrão Maldivas é barato, para uma viagem de 5 diárias, nem tanto, porém, será uma experiência inesquecível. Quanto maiores forem as informações sobre a organização, o roteiro, a pesquisa da viagem, mais recursos você terá para decidir e economizar, bem como obter as melhores cotações de câmbio na compra do dólar.

Últimas informações

– Em relação ao fuso horário, são oito horas a mais que o horário de Brasília;
– A voltagem nas Ilhas Maldivas é 220V e as tomadas tem 3 pinos planos;
– Não subestime o sol, use protetor solar;
– Passaporte com validade superior a 6 meses;
– O idioma oficial é o dhivehi, mas a maioria fala inglês bem.
– É permitida a entrada no país com drones, mas vários hotéis proíbem por causa da privacidade dos hóspedes.

Deixe um comentário